Prefeitura Municipal De Santa Rita - Paraíba

Início » Destaque » Projeto da Prefeitura e UFPB vai beneficiar piscicultores
14/06/2017 12:03 - Atualizado em: 14/06/2017 12:03

Projeto da Prefeitura e UFPB vai beneficiar piscicultores

A Secretaria de Agricultura de Santa Rita vai disponibilizar um projeto pioneiro que beneficiará a piscicultura familiar no entorno da barragem de Gramame/Mamuaba e na comunidade de Cicerolândia. Através da parceria com a Universidade Federal da Paraíba, os pescadores da localidade receberão capacitação dentro do projeto “Sustentabilidade aquática”, desenvolvido pelo departamento de Biologia da UFPB.
Apresentado recentemente aos pescadores por professores e alunos, o projeto cria meios alternativos para que a atividade pesqueira seja desenvolvida evitando impactos ambientais e melhorando o aproveitamento do pescado. Os especialistas mostraram aos pescadores a viabilidade da execução, tanto no aspecto ambiental quanto no de geração de renda.
Nesta fase inicial, o projeto trata da preparação do ambiente (tanque ou viveiro) para introdução dos alevinos, orientando os participantes sobre os cuidados com a qualidade da água e com a saúde do alevinos. A segunda fase é a confecção da ração utilizando sobras de alimentos (verduras, frutas, hortaliças, sangue bovino etc), garantido uma ração com todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento do peixe, para atingir a idade adulta no período certo. Já a terceira fase engloba o beneficiamento do pescado. Os piscicultores aprenderão as técnicas para produzir o filé e a linguiça de peixe, evitando desperdício e aproveitando da melhor forma possível a carne e a pele do animal.
Denominado “Sustentabilidade aquática: Fomentando a Piscicultura Familiar em Comunidade Ribeirinha da Grande João Pessoa/PB”, o projeto será desenvolvido ao longo de oito meses e utilizará tanques-redes da UFPB e viveiros dos próprios criadores de peixe da área para servir como laboratório.
Essa implantação criará meios alternativos dentro de uma visão de sustentabilidade ambiental e, ao mesmo tempo, fortalecerá a economia de forma inclusiva e solidária, através de trocas de experiência, com a junção dos saberes empíricos e científicos se complementando.